16 de nov de 2010

Que país é este?

Eu não sei se em outros países também funciona assim, mas aqui no Brasil as ONGs e entidades beneficentes existem para cobrir a incompetência do Estado na administração de graves problemas, como santas casas, orfanatos, asilos, grupos de apoios a portadores de doenças crônicas, defensores da natureza, e por ai vai. Onde o Governo não atua e é necessário, lá estão pessoas de bom coração dispostas a ajudar. Ainda bem que o país é imenso, porque e ausência do Governo é desproporcional. O chamado "terceiro setor" é um dos que mais tem crescido nos últimos anos. São pessoas de bem, geralmente que já passaram por problemas e se identificam com outros na mesma situação, ou simplesmente anjos que Deus envia à Terra. A grande maioria dessas instituições é séria, composta de pessoas honestas, que chegam a tirar do próprio bolso para ajudar os outros, uma vez que conseguir verbas nesses casos é missão quase imposível, e quando se consegue é mais uma esmola que um auxílio. Engraçado, as entidades fazem de graça o que quem ganha fortunas devia fazer e não faz. E pior, os membros dessas entidades não podem ter salários. Tem que trabalhar de graça. Mas isso é assunto para outro post. Hoje quero focar num fato que aconteceu estes dias e que realmente me mostra que a gente deve ter cara de palhaço mesmo.
Esses órgãos ambientais, que de meio ambiente não entendem nada, só entendem de multas, porque se não fosse assim, evitavam os danos ao invés de punir somente, agora deram um exemplo da mais absurda falta de respeito para com as pessoas de bem. Dezenas, senão centenas, de entidades precisam de tudo, muitas não tem sede própria, ou então tem o telhado quebrado, precisam de material, espaço, enfim, estrutura. E o Governo vem e implode mansões cinematográficas que foram construídas irregularmente em área de proteção ambiental! Mansões com vários quartos, bangalôs, áreas enormes, e com certeza mobiliadas. Isso é inconcebível. Por que não multaram o proprietário e destinaram as casas ou o material delas para essas instituições? Por que não fizeram dessas edificações, lares para pessoas carentes, ou bibliotecas, orfanatos, asilos, sei lá? Mas destruir tudo? O que o país ganhou com isso? A mata deve voltar ao natural. Legal, bacana, parabéns. Mas não dava pra derrubar e distribuir o material com quem precisa? Faça-me o favor. Isso é muita falta de respeito com a gente. E acontece direto. Tem muita coisa errada aqui no Brasil, muita. E sinceramente não sei se tem jeito. Parece que nosso país foi contaminado com um virus, um não, vários, que estão se espalhando por todos os setores do Governo, o vírus da corrupção,o vírus da desumanidade, da falta de vergonha na cara, de ética etc. etc. etc.
Vamos ouvir Legião e rezar, porque tem que ser Deus para mudar alguma coisa, e como ele é brasileiro, quem sabe?



Um comentário:

  1. Acho que a diferença entre ser um país de primeiro ou de terceiro mundo está na inteligência. No Brasil, está se tornando uma tradição das autoridades o não usar a cabeça para pensar/agir. E isso deve explicar os muitos descalabros que verificamos por aí, como este que você relata aqui. Certas coisas são evidentes e revoltantes: comparar a produção intelectual das universidades americanas com a das brasileiras, produz uma discrepância estarrecedora. Li, certa vez, e acho que isso pode ser medido na realidade do dia a dia, que a produção de nossas universidades é muito mais de interesse acadêmico, enquanto que as universidades americanas são mais pragmáticas e voltadas a pesquisas de aplicação no mercado. Não sei se fugi do assunto, mas citei isso porque acredito que os efeitos desse, digamos, foco equivocado, da produção de conhecimento no Brasil, são sentidos no nosso cotidiano em situações inexplicáveis como esta. falta aos Brasil medidas coordenadas e inteligentes em busca de seu desenvolvimento.

    ResponderExcluir

"LUJINHA" DA CLAUDINHA

http://www.zazzle.com.br/clautulimoschi*

wibiya widget