14 de set de 2011

Globalizando a dor

"I would rather walk with a friend in the dark, than alone in the light." Helen Keller
(Eu preferiria caminhar com um amigo na escuridão, do que sozinha na luz)
Andei ausente por vários dias, ainda estou ausente de certa forma. Passei, aliás passamos, por um momento muito doloroso em nossas vidas, mas infelizmente um momento do qual ninguém escapa. Desde que o mundo é mundo que o homem sabe que sua vida é finita, mas nem por isso se torna mais fácil aceitar uma partida. Minha avozinha se foi...estranho até escrever isso, parece irreal. Escrevo para que eu mesma acredite, para reforçar a realidade. Foram duas semanas, ou três, já nem sei, de um mergulho profundo na dor, na crueldade e na realidade da vida. Perdemos a inocência, perdemos uma parte de nossa alegria, uma grande parte. Nossos olhos já não brilham como antes e esse brilho não mais voltará. Mas uma frase que nos disseram acho que nos traz um pouco de conforto - "Vocês deram um presente para Deus. Devolveram a Ele, algo que Ele amorosamente lhes emprestou por 94 anos". E é verdade. Não somos de ninguém, somos de Deus, e a Ele voltaremos todos um dia. 
Costumo dizer que das piores coisas da minha vida surgiram as melhores coisas da minha vida. Tem sido assim a minha vida toda. E desta vez não seria diferente. Mesmo diante de tamanha perda, de tanta tristeza, recebi presentes valiosos. Um deles, a felicidade do encontro de dois amigos muito queridos. Encontro que se tornou possível justamente pelo acontecimento triste. E o outro, o mundo de amigos que nos apoiaram, o carinho que recebemos, as orações de gente que nunca vi pessoalmente. Este é o novo mundo. A nova forma de se sofrer, hoje se sofre em conjunto, se globaliza a dor. Recebemos mensagens do mundo todo, orações de todos os cantos, inclusive mais até do que de pessoas que nos conhecem e que conviveram com a avozinha. Foi um alento receber tanto carinho desinteressado, tantas mensagens de apoio, de preocupação. Isso nos alimentou o coração e só nos resta agradecer.
Há tantas coisas negativas que falam da internet, das redes sociais, mas eu não concordo. Acho que é uma benção ter uma ferramenta como essas, o uso que pessoas más fazem dela é que é condenável.
Não nos sentimos sozinhas um minuto sequer, sabemos que oraram conosco, que sofreram conosco, que torceram por nós. Isso tem uma energia tamanha que é quase paupável. Por menor que tenha sido sua mensagem, saiba que ela aqueceu nossos corações. 
Obrigada a todos vocês, mesmo aos que não escreveram, mas acompanharam em silêncio. Perdoem-me por dividir este momento com vocês sem que me pedissem ou autorizassem, mas saibam que foram muito importantes para nós.
No mundo moderno as perdas e dores existem, mas o conforto e o alento são mais reconfortantes. 
Saibamos usar a tecnologia para o bem, sempre, e cada vez mais nos tornaremos unidos como uma grande família. Acho que o Cara lá de cima vai ficar muito feliz.
Beijos no coração de cada um de vocês.

Um comentário:

  1. É isso, Claudia.A Internet não é um mal. O que as pessoas fazem através dela é que pode assim ser classificado.Tb acho que não estamos sózinhas.Nem na dor nem na alegria, e isso é muito legal.Continue sendo o que vc é, pois o mundo está carente de pessoas assim: sensíveis, honestas, carismáticas,bondosas.E como vc disse o Cara lá de cima espera isso de nós, suas criaturas....Bjs p/vc e sua mami...De sua prima que a ama mesmo sem conhecê-la pessoalmente....Nina

    ResponderExcluir

"LUJINHA" DA CLAUDINHA

http://www.zazzle.com.br/clautulimoschi*

wibiya widget