12 de jul de 2012

Mizaru, Kikazaru e Iwazaru

Faz algum tempo que não escrevo. Não porque não tenha nada a dizer, mas por pura falta de tempo. Porém hoje tive que me forçar a parar e postar alguma coisa. Outro dia recebi uma mensagem no Facebook, na verdade uma manifestação para que se boicote a manifestação e a propaganda política no Face. Pensei, analisei e resolvi dar minha opinião, mesmo que ninguém a tenha pedido e que a mesma não interesse a ninguém, ou até mesmo incomode a muitos.
Sempre fui bastante engajada em movimentos que julgo justos, sejam eles políticos ou não e acho que ter um espaço como o Facebook é uma esperança para que diversas coisas mudem neste mundo que vivemos. É através da internet, e ultimamente principalmente por causa desta ferramenta que muitos movimentos populares se formaram e inclusive já promoveram mudanças importantíssimas para a sociedade . É certo afirmar também que na contra-mão do bom cidadão, também o mal de aproveita da mesma ferramenta para atingir mais e mais pessoas e espalhar suas cicatrizes. No entanto, não vejo lógica em não usarmos algo que se nos coloca à disposição para que possamos discutir sadiamente idéias e ideais, inclusive políticos. Tal manifestação me parece mais uma tentativa de censura manipulada por quem tem medo que, sabendo de nossa força, juntos possamos mudar algo que beneficia a poucos.
Não concordo com tal censura e peço desculpas a quem não gostar de política, mas se eu tiver vontade de falar, vou falar sim, você sempre terá a opção de excluir meu comentário ou deixar de seu meu amigo. Ninguém é obrigado a concordar comigo e nem mesmo a ler o que escrevo, você tem escolha, manifeste-a mas não me impeça de lutar pelo que acho justo e correto. Com discussões sadias podemos educar quem ainda começa a viver sua cidadania. Não há que começar essa jornada já com uma censura, ainda mais vinda de nós mesmos, se é que é assim mesmo, isenta. Informação é alimento para o povo, um alimento necessário à democracia e que hoje está restrito a mídias nem sempre confiáveis. Não me calarei e peço que ninguém se cale. Se eu não gostar de algo que leia, discutirei, ou simplesmente ignorarei, tenho a opção, e assim espero que hajam comigo. Lembrei da história dos três macacos sábios. Existe uma interpretação, que diz que não se deve ouvir tudo, nem falar tudo, nem enxergar tudo, devemos filtrar o que se apresenta, no entanto deixo aqui como uma imagem da maneira como querem que sejamos e como não devemos ser jamais. Devemos ouvir sim, devemos falar sim, devemos enxergar sim, sempre, principalmente em busca de nossos ideais, daquilo que acreditamos e achamos justo. Isso é viver em democracia. Proibir, impedir o outro de se manifestar pra mim é o oposto. Não podemos viver só no mundo de Alice, com mensagens e flores, com poemas e amores, seria lindo, mas o mundo não é assim e não podemos fingir que é.

"Não há nada de errado com aqueles que não gostam de política, simplesmente serão governados por aqueles gostam." Platão

Portanto, escolha você quem vai te governar, não deixe para ser escolhido por qualquer um, ou pelos mesmos.

Os macaquinhos, conhecidos como 'Três Macacos Sábios', ilustram a porta do Estábulo Sagrado, um templo do século 17 localizado na cidade de Nikko, no Japão. Sua origem é baseada em um trocadilho japonês. Seus nomes são 'mizaru' (o que cobre os olhos), 'kikazaru' (o que tapa os ouvidos) e 'iwazaru' (o que tampa a boca), que na língua é traduzido como 'não ouça o mal', 'não fale o mal' e 'não veja o mal'. A palavra 'saru', em japonês, significa 'macaco' e tem o mesmo som da terminação verbal 'zaru'. 
O folclore japonês diz que a imagem dos macacos foi trazida por um monge budista chinês, no século 8. Apesar disso, não há comprovação dessa suposição.



fonte: http://www.portaldascuriosidades.com

24 de fev de 2012

Alguns looks com as bijous Modiquê


7 de jan de 2012

Dessa vez eu faço Direito!

"Um advogado é um profissional liberal, bacharel em Direito e autorizado pelas instituições competentes de cada país a exercer o jus postulandi, ou seja, a representação dos legítimos interesses das pessoas físicas ou jurídicas em juízo ou fora dele, quer entre si, quer ante o Estado. O termo Advogado provém do latim, “ad vocatus”, que significa aquele que foi chamado para socorrer outro perante a justiça, significa também patrono, defensor ou intercessor. O verbo “advoco” , no sentido próprio, pode ser compreendido como chamar a si, convocar, convidar, significa portanto Advogado àquele a quem se chama, convoca, convida sua defesa." 
Uma amiga me alertou uma vez: "Se você pensa em cursar Direito para fazer justiça esqueça, o Advogado faz exercer as leis, e estas nem sempre são justas."
Nesse ponto minha amiga tem razão, ainda mais no Brasil. Mas, apesar disso, eu atendi o chamado e finalmente, após anos de espera, vou cursar Direito. 
Estou muito, muito feliz mesmo. Uma segunda faculdade é diferente. Quando entrei na Faculdade de Letras eu tinha apenas 18 anos recém completados, uma criança na época. Fazer um curso superior naquela fase da minha vida era simplesmente cumprir com uma obrigação. Mas desde lá que o Direito me sondava. E hoje, após 27 anos de formada, depois de uma pós-graduação, anos trabalhando com Marketing e Exportação, volto à faculdade para enfim seguir o meu destino. O sabor agora é outro. A vontade é outra. Os propósitos estão mais definidos e a paixão ainda maior. 
Devo me formar com 51 anos, o que para qualquer um já seria, mas para quem mora em Pirassununga, é uma boa idéia mesmo!
Uma coisa é engraçada, quando fiz o curso de Letras eu era a caçula da turma, e hoje, com certeza, vou ser a tia! Vai ser uma experiência e tanto. Voltar aos bancos acadêmicos na era da internet, quando eu me formei na época do papel almaço e das idas às bibliotecas. Hoje temos o Google, livros virtuais, Ipads e tantas outras facilidades. A turma de hoje não sabe o que é ralar de verdade. Sorte a deles, e a minha que vou aproveitar esse mundo moderno também.
Bem, essa é a novidade. Antes tarde do que nunca. Direito aqui vou eu!
Afinal, eu nasci em 11 de agosto!
Beijos e até a próxima!


1 de jan de 2012

Previsões

Feliz 2012 amigos!

Pois é, temos 365 dias ou 31 milhões, 448 mil e 400 segundos para sermos felizes, não importa em que circunstância. É, de novo, a história do recomeço, todo ano a mesma coisa rsrs.
E eu fui ver meu horóscopo para 2012, ano do Dragão.
"Serpente: Um ano moderado com alguns imprevistos para a Serpente que deverá cultivar a reflexão e a flexibilidade. Este será um bom ano para se organizar, reestruturar e corrigir os erros do passado. Os estudos e o planejamento estarão favorecidos. Atenção às finanças e evite os gastos excessivos. No amor, o período será de novas conquistas e muita paixão. Na saúde, cuide do sistema digestório, evite os excessos na alimentação."
Atenção às finanças? De novo? Todo ano a mesma coisa, não muda!
Vamos ver o horóscopo tradicional então.
"Uma boa dica para o signo de Leão em 2012 é: tente fazer com que este ano seja o ano da descoberta de que menos muitas vezes significa mais!" 
Tá de sacanagem? Desisto!
Então, só me resta dizer que vou ter o maior empenho para provar que horóscopo não funciona. Esse será meu desafio para 2012, afinal, acredito que nosso futuro é construído a partir de nossas próprias escolhas. Vou tratar de escolher muito bem. E escolho ser feliz, sempre.
Beijos a todos, muita paz, amor, saúde e prosperidade. 
E o dragão que vá baforar em outras bandas!

"LUJINHA" DA CLAUDINHA

http://www.zazzle.com.br/clautulimoschi*

wibiya widget